GIRO CULTURAL

Recordando uma vez mais, deixemos nos levar até os idos anos de 40 a 70. Estas três décadas por mim vividas foram marcantes, abrangendo minha adolescência e juventude, muito bem vividas em minha terra natal, Curitiba.

Sempre fui apreciadora da boa música (clássica e popular) e nos meus derradeiros oito anos conheci as primeiras notas musicais, ministradas pela prima Léa Leone formada em piano.

Já adolescente, assisti grandes apresentações de orquestras, cantores e grupos de danças quase todos oriundos da Europa, e quinzenalmente se apresentavam no antigo “CLUBE CONCORDIA”. Apreciava também as apresentações da Orquestra da Universidade Federal, que mais tarde se transformou na atual “SINFÔNICA DO PARANÁ”.

Já no “TEATRO GUAIRA” muitas vezes acompanhada por minha saudosa mãe, que apreciava bastante teatro, assistimos excelentes apresentações de peças teatrais e musicais.

Gostava muito das apresentações na “REITORIA” e ao término, em grupo de jovens íamos degustar delícias do “LÁ NO PASQUALE” no interior do Passeio Público e lá jogávamos conversas fora até a madrugada, sem esquecer das deliciosas e descontraídas reuniões na Churrascaria Bambu (foto) com meus manos, familiares e amigos..

Relembremos agora das famosas salas de cinema de Curitiba, muito frequentadas por jovens e também adultos, sendo apresentados dois filmes em cada seção. Aos domingos íamos aos grupos de amigas, à matiné. Ao término nos dirigíamos à Rua XV e lá rolava o inesquecível “footing” que consistia em rapazes parados às portas das lojas, observando as moças que passavam trocando olhares furtivos.

Terminávamos o gostoso passeio dominical, saboreando as delícias da inesquecível confeitaria “SCHAFFER” onde era servida uma torta de maçãs, acompanhada por um delicioso “frapé” (bebida de sorvete batido com creme) muito apreciada por todos.

Quanto aos esportes, o que se praticava mais era vôlei, tênis de quadra, natação e ciclismo. Não havia nesse tempo as academias de ginástica e os exercícios se faziam ao ar livre e clubes.

Recordo também das chamadas “ festinhas “ que consistia na reunião do grupo de amigos em suas residências, onde as moças se encarregavam dos doces e salgados e já os rapazes entravam com a bebida. Ali ficávamos dançando até o anoitecer, embalados ao som de saudosos Long plays (LP) de músicas brasileiras e estrangeiras.

Ressaltemos esta etapa, onde não havia entre nós jovens, o consumo de drogas ou álcool, sendo o respeito uma máxima de caráter.

Em outra década havia tardes dançantes patrocinadas por centros acadêmicos em diversos locais e clubes onde os jovens dançavam animados por duas orquestras “GENESIO e ANTONELO”. Recordamos das  grandes “FESTA DO CHOPP” famosas no Concordia, Clube Duque de Caxias e Sociedade Rio Branco verdadeiros ícones das festividades alemãs de Curitiba.

No carnaval era uma festa só!  Brincávamos os três dias consecutivos e na 3ª feira ao acabar o baile, a turma do “CIRCULO MILITAR” se dirigia para a Praça Ozorio a fim de encontrar com os da “THALIA” para o tradicional banho, no repuxo como despedida.

Outra modalidade de então, era a frequência à “BIBLIOTECA  PUBLICA” lugar onde se encontravam tudo para nossos deveres e pesquisas escolares. Lembremos que neste período ainda não havia TV nem aparelhos digitais para consultas.

O tempo passa, deixando um rastro imenso de saudades em nossos corações desta época maravilhosa que não volta mais!

RECORDAR É VIVER !

  • Albano
    Albano 9 de abril de 2017 às 07:42

    Só pra constar. Na frente Tios Osmar e Mario. Mais ao fundo da esquerda para a direita: Tias Iara e Lectícia e primo Frederico.

    Não tem como não se imaginar estar nesse local.

  • Deixe seu comentário