Grupo Escolar Tiradentes.

colegio-tiradentes-curitiba

Em algumas participações da tia Iara eu observei ela falando algo sobre o colégio Tiradentes ter suas dependências na Rua Barão do Serro Azul bem em frente á estátua do homem nu na praça Dezenove de Dezembro em Curitiba.

Como não sou de perder tempo fui em busca de informações, de pronto tive resultados incríveis, pois além dos ótimos relatos da tia Iara, um amigo meu do facebook chamado José Luiz Maranhão também compartilhou algumas lembranças.

Confira abaixo:

Iara diz: O Grupo Escolar Tiradentes ficava na quadra seguinte da nossa casa bem em frente à estátua do Homem Nu na Praça 19 de Dezembro em Curitiba onde hoje é um prédio pequeno da Auto Escola Silva 

Lá estudaram todos nós no primário. Depois mais tarde, com o centenário do Paraná é que o Grupo passou para o novo prédio, onde lecionei até meu casamento. Bons tempos aqueles!

Naquele tempo era um sobradão de um andar, sendo no térreo o gabinete da diretoria, duas salas de aulas, sala de música, banheiros. No andar superior havia quatro salas de aula. Já no pátio havia mais três ou quatro salas de aula, e bem ao fundo ficava uma cantina.

Fui aluna de dona Nair Macedo, e mais tarde fui funcionária da mesma já no novo prédio do outro lado da Praça 19 de Dezembro, e mais tarde ainda trabalhei com sua sobrinha Eliette Macedo Nery. (ainda viva).

José L. Maranhão diz: Lembro que havia um simpático soldado da policia militar que organizava o transito na entrada e saída da escola. Ele utilizava o capacete padrão da PM na época, que era branco; dai o seu apelido “cabeça de gesso”. Entre os dois períodos (entrada e saída dos escolares) ela trocava a farda, vestia um avental e trabalhava como barbeiro, cortando, a baixo preço, o cabelo da gurizada. Era uma figura!…

Iara diz: Lembro-me bem desta figura, pois morava nos fundos do Grupo com sua família. Certa vez o convidei para dar umas aulas de trânsito para meus alunos do 2° ano e ele se saiu bem que todas as outras turmas aderiram também. Além disso ele nos ajudava em todas as dificuldades que tínhamos.

José L. Maranhão diz: Lembrança preciosa da sua tia. Obrigado por partilhar.

6 Comentários

  1. Responder José Luiz de Souza Maranhão

    Fiquei lisonjeado em poder colaborar com este post da página da ilustre Família Nascimento. A preservação da memória, através dos relatos pessoais, constitui uma das mais importantes fontes da historiografia. Continue em frente, Albano, com este teu projeto.

    1. Albano

      Olá José Luiz, obrigado por seu comentário e apoio. Participe sempre.

  2. Estudei no Grupo Escolar Tiradentes de 72 a 76… lembro que em 75/76 tornou-se “Unidade 01” do Colégio Estadual do Pr…

    Ficava eu e outros alunos aguardando o “ônibus da Base” (ônibus da Aeronáutica, que levava os filhos de militares), lembro das enchentes da Faria Lima, do lanche “chá com bolacha” ou “polenta com carne miúda”, brincávamos de caçador, pula corda, elástico, amarelinha e os meninos futebol e pique, …

    O guarda que morava com sua família em uma casa no portãozinho ao lado, da Diretora Maria Helena, professoras Sonia, Iara, Aidê, … saudades

    1. Tinha laboratório, destista, promoção do Nescau, Sagu na merenda, sopa com gosto de cebola, macarrão com carne moida, aula de educação fisica no Colégio Estadual, atravessar o Passeio Publico pra ir ao C.E.P.

  3. Eliane Weidner

    Estudei nesta escola de 1965 a 1967, com o nome de Ginasio Estadual Tiradentes.

    Me lembro o nome da diretora. Era Judith Real Prado. Me lembro que sentava perto da janela e ficava olhando para a praça.

    Quando subiamos para as salas que ficavam no andar superior a escada que era de madeira, rangia demais.

    Aos sabados, quando as aulas terminavam mais cedo, antes de ir para casa, dava uma passadinha na casa da vo Luiza.

  4. Albano

    Prima. Gostei muito de seu testemunho.

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *