REVEILLON NA ANTIGA CURITIBA

Quanta diferença desta data com a contemporânea. Décadas passadas as comemorações de final de ano eram constituídas por uma reunião familiar de grande porte. Falando destas reuniões me recordo muitíssimo como eram efetuadas, longe de grandes ostentações sociais e econômicas. Digo isso pois  as famílias se reuniam na residência dos pais ou dos avós conforme o costume  adotado por cada grupo.

Na ocasião cada membro colaborava com uma parte da ceia da meia-noite, ou  melhor  falando na virada do novo ano. Uns traziam bons pratos salgados, outros doces, e terceiros providenciavam as bebidas. Vejam bem  que naqueles dias não se falavam em cervejas envazadas nem refrigerantes.

O que rolava eram as inesquecíveis  gasosas “Cini” e os famosos barris de chopes da “Brama” Todos se deliciavam com os quitutes e bebidas não lembrando ninguém, com sinais de alto teor de álcool. Assim sendo transcorria a festa em clima de muita alegria e entrosamento. Pontualmente às 24 horas do último dia de dezembro, lembro bem a confraternização de todos os familiares, se abraçando sinceramente e desejando cada um a seu modo, muito amor e paz .

Em seguida esta festa se estendia aos vizinhos e a reunião ia para as calçadas, onde cada um comemorava a seu gosto, principalmente com muita música e até batidas de tampas de panelas. Continuando as famílias davam um show à parte com muita dança e música em seus lares.

Ninguém nesta época  costumava viajar isto porque a reunião dos familiares era um evento,  cuja  presença de cada membro era cobrada por todos. Atualmente o que se nota são famílias desmembradas pelas viagens, compromissos sociais e ausências múltiplas e não mais fazem questão da amizade, do abraço pessoal  de seus  parentes.

Que saudades dos cartões de Natal muito coloridos enviados pelos correios ou telegramas alusivos à data.  Com a presença da era digital o que se recebe são cumprimentos frios via telefone ou  E-mail .

Enfim é de salientar, o estímulo constante do comércio para as compras fantásticas  nestes dias festivos, o que acarreta ao ser humano a competir, se estressar e até adoecer. Lembremos sempre nestas datas, a mantermos com muita serenidade, evitando os exageros de toda a sorte para continuarmos nossa caminha em paz conosco mesmos !

Desejo a todos os meus familiares um Ano de Prosperidade e Tolerância  e que possamos continuar juntos em nossa caminhada !!!

RECORDAR É VIVER !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *