VIAJEM DO CURITIBANO NO PASSADO

Hoje recordaremos os bons tempos, quando empreender uma viagem era motivo de elaboração, ou melhor dizendo preparativos com muita antecedência. Digo isto me baseando há umas sete décadas atrás, quando ainda fazer uma viagem dependia de muitos motivos, tanto monetário como também estratégicos.

Naquela época não havia empresas de turismo para a orientação do viajante; sendo que este último tinha que se virar sozinho, desde a compra de passagens até o traçado de rotas.

Lembremos que não contávamos com a era digital que chegou com tudo para esta finalidade. Recordo com muitas saudades das viagens que fiz acompanhadas pelos meus pais, à cidades vizinhas locais e outras tantas a estados próximos como S. Paulo e Sta. Catarina. Dias anteriores eram feitos altos preparativos tais como a organização das malas, compras de passagens, reservas de hotéis ou similares sendo tudo organizado de maneira que transcorresse da maneira mais tranquila.

Estas viagens eram efetuadas principalmente por via férrea. Veja bem, para chegar a S. Paulo eram gastos mais ou menos dois dias. Para tanto pernoitávamos em vagão leito uma noite, se tratando de motivo para nós crianças, de grande alegria e satisfação. Durante o dia as refeições eram servidas nos vagões restaurantes, também muito agradáveis pois enquanto saboreávamos as refeições, podíamos desfrutar das lindas paisagens que eram descortinadas através das janelas dos mesmos.

Lembremos que a via férrea naquele tempo, nos levava a muitos lugares tais como: Palmas, Guarapuava, Ponta Grossa, Irati, Joinville, São Francisco do Sul, Paranaguá, Jacarezinho, Ourinhos e outras tanto deste Estado e vizinhos. (Na foto ilustrativa meu irmão Mario á esquerda da imagem e seus amigos).

Quanto às viagens aéreas eram menos usadas pelo público em geral, por tratar-se de muito dispendiosas e ao mesmo tempo eram temidas pois os aviões, não contavam com a estrutura técnica atual, melhor falando, as suas cabines ainda não contavam com sistema de pressão adequada, o que causava grande incômodo aos tripulantes. Agora o que tinha de elegância nem se fala. Para esta modalidade de viagem as mulheres se apresentavam impecáveis em seus trajes, acontecendo o mesmo com os homens, portando seus ternos e gravatas. Era um luxo só !

Outras viagens eram efetuadas através de navios transatlânticos, principalmente para lugares da Costa Brasileira, América do Sul, Estados Unidos , Europa, Oriente Médio, África e Ásia. Tratava-se de viagens de turismo e algumas de negócios que levavam dias e até meses para ser finalizada.

Bem lembradas, as efetuadas pelos nossos antepassados, que duraram de quinze a um mês para aqui em nosso país, aportarem. Já na década de quarenta à cinquenta as viagens rodoviárias tomaram grande vulto e vieram para ficar até os nossos dias.

Só o que nos resta, são as lembranças destes anos idos que apesar tão simples, nos deixaram imensas saudades.

RECORDAR É VIVER!